Como tudo começou


Então... minha vida crafter começou lá pelos meus 6/7 anos, quando meu pai me ensinou a fazer tricô. Pouco tempo depois, ele me ensinou a fazer aqueles quadrinhos para colchas de crochê.

Passaram-se alguns anos. Fiz meu cursinho pré vestibular, passei em Programação Visual e fui estudar em Pelotas, em 2006. Ia e voltava (Rio Grande/Pelotas), todos os dias. Até que consegui ser bolsista e fiquei feliz da vida com o meu meio salário! Então foi aí que a gigiSerelepe nasceu! Eu era bolsista, mas mesmo assim precisava de um dinheirinho a mais, pois o curso saia caro com impressões, materiais e ainda tinham as passagens!

Foi então que eu tive a idéia: estojos! Claro! Onde nós, alunos, colocaríamos todas aquelas réguas e esquadros, todas aquelas lapiseiras de todos os tipos de grafites, escalímetros e tudo mais?! 
Comecei na própria sala de aula aproveitando as mesas com réguas paralelas para fazer o molde dos futuros estojos! - nada muito elaborado, porque eu nem sabia costurar, imagina fazer moldes!
Comprei os tecidos coloridos, o brim e os zíperes - que eu nem imaginava como se colocava, e fui pra casa produzir. Cheguei tão empolgada que nesse dia fiz mais de vinte e cinco estojos! No outro dia, cheguei na faculdade e em menos de 15 minutos já tinha vendido tudo, e teria encomendas para a próxima semana!!!
Me empolguei com as vendas e resolvi criar mais. Foi a vez das bolsas. Fiz uma bolsa simples pra mim e minhas colegas gostaram. Assim, fui fazendo os estojos, nécessaires, bolsas. Tudo saía na mesma hora em que eu chegava, e assim consegui sustentar as despesas do curso e guardar um pouco para fazer o estágio curricular.

Casei com um também designer e vim morar em Porto Alegre com a intenção de seguir na carreira. E foi o que aconteceu por apenas um ano! Trabalhei em uma agência de publicidade, mas resolvi largar tudo e costurar, costurar e costurar! 
Deu certo por pouco tempo... vi que a coisa não era tão fácil. Vi que minha vontade teria de esperar mais um pouco! Voltei a trabalhar, desta vez em uma produtora onde, mais uma vez, não fui muito longe! O que eu queria mesmo, era costurar!!!

Foi então que em 2011, montei o meu próprio ateliê e hoje, envio peças para lojas de Porto Alegre, Rio de Janeiro e São Paulo.

6 comentários:

  1. Que bacana
    queria um dia poder me dedicar integralmente ao artesanato...
    meu pai era um grande marceneiro e um inventor tipo "Prorfº Pardal...acho que herdei dele esta vontade de fuçar e aprender um pouco de artes manuais.
    Parabéns pela sua persistência e sucesso Gigi.
    Bj

    ResponderExcluir
  2. Gigi, vc é mesmo um docinho! Sucesso sempre, lind! Bjs.

    ResponderExcluir
  3. Parabéns Querida Gigi ... Q História Linda de Luta e Dedicação ... Q Deus Esteja Sempre Contigo Te Protegendo e Abençoando!!!
    Bj gde com Carinho e Admiração, Wan Said

    ResponderExcluir
  4. Gigi, adoro seu trabalho e me identifico muito com sua linha de artesanato. Eu trabalho com finanças, nada a ver, mas o meu sonho é largar tudo e me dedicar ao artesanato com tecidos.
    Queria saber qual a melhor máquina para fazer artesanato e se o você consegue se manter com o atelier.
    Forte abraço! Jane

    ResponderExcluir
  5. Oi Gigi sou gaucha tambem , adorei a bolsa que fez com datan onde vc disponiblizou os moldes queria fazer.

    bj Alessandra

    ResponderExcluir