16 março 2015

Brincar de boneca ajuda a expressar as emoções

A afirmação, da terapeuta Regiane Glashan, da Unifesp, reforça a importância dessa antiga brincadeira 



Você já parou para prestar atenção em como seu filho brinca? Especialmente na brincadeira com bonecos – seja a princesa ou o super-herói –, ele expressa suas emoções de uma maneira que jamais conseguiria somente por palavras. “A brincadeira de boneca é uma forma de atenuar as angústias e ansiedades que eles não conseguem expressar verbalmente”, afirma a terapeuta de bebês, crianças e famílias Regiane Glashan, da Unifesp.

Por isso é tão importante que os pais dediquem um tempo para compartilhar desse momento com os filhos. Calma, não precisa se sentir culpado se você não consegue passar horas sentado no chão brincando de casinha. Segundo Regiane, é a qualidade do tempo que faz diferença. “Bastam 30 minutos por dia. Mas precisam ser totalmente dedicados a isso, sem celular, computador ou qualquer outra distração. E quem dá o tom da brincadeira é sempre a criança, nunca o adulto”, orienta.

Ainda segundo a profissional, a criança projeta sua realidade na brincadeira de boneca. Ou, pelo menos, aquilo que ela imagina como realidade ou futuro. “Aquela boneca ou boneco pode estudar, virar uma grande profissional, pode até ir para a lua”, diz.



23 julho 2014

SURPRESA!!!

Dica 1:



Dica 2:



Dica 3:


TCHARÃÃÃ!


PRE-PA-RA e apaixone-se pelas Bonecas Serelepes!

Te espero para o nosso encontro nos dias 7, 8 e 9 de agosto, das 14 às 17h, no site da eduK!
 É só clicar AQUI e reservar seu lugar! 



Quero ver todo mundo online, hein?! 

27 junho 2014

gigiSerlepepe em:

'A louca do crochê!'

Falta pouquinho pra minha colcha linda ficar pronta! 
Cada dia mais apaixonada por ela!


19 maio 2014

Friozinho bom!



Cada vez que eu vejo a colcha que a minha mãe fez, fico imaginando em quantos dias ela fez todos aqueles quadradinhos de lã! (foto acima)

Pois bem, criei coragem e comprei as lãs - ela sempre comprava lãs 'Pingouin Família', e eu fiz o mesmo - a agulha, pesquisei modelos e bora crochetar! AMEI o resultado. E agora entendo o porquê ela fez aquela colcha tão grande... porque é ótimo fazer crochê!  





 


Já já, mostro como ficou! :)

13 maio 2014

Porque hoje o dia é todinho dela!

Viva Nossa Senhora de Fátima!

Herdei todo este amor por ela, da minha mãe. E levo todo este amor que tenho no meu coração por elas estarem sempre juntas de mim. 
agradecer, é a melhor parte!


História das Aparições 

A 13 de Maio de 1917, três crianças apascentavam um pequeno rebanho na Cova da Iria, freguesia de Fátima, concelho de Vila Nova de Ourém, hoje diocese de Leiria-Fátima. Chamavam-se Lúcia de Jesus, de 10 anos, e Francisco e Jacinta Marto, seus primos, de 9 e 7 anos. 
Por volta do meio dia, depois de rezarem o terço, como habitualmente faziam, entretinham-se a construir uma pequena casa de pedras soltas, no local onde hoje se encontra a Basílica. De repente, viram uma luz brilhante; julgando ser um relâmpago, decidiram ir-se embora, mas, logo abaixo, outro clarão iluminou o espaço, e viram em cima de uma pequena azinheira (onde agora se encontra a Capelinha das Aparições), uma "Senhora mais brilhante que o sol", de cujas mãos pendia um terço branco. 
A Senhora disse aos três pastorinhos que era necessário rezar muito e convidou-os a voltarem à Cova da Iria durante mais cinco meses consecutivos, no dia 13 e àquela hora. As crianças assim fizeram, e nos dias 13 de Junho, Julho, Setembro e Outubro, a Senhora voltou a aparecer-lhes e a falar-lhes, na Cova da Iria. A 19 de Agosto, a aparição deu-se no sítio dos Valinhos, a uns 500 metros do lugar de Aljustrel, porque, no dia 13, as crianças tinham sido levadas pelo Administrador do Concelho, para Vila Nova de Ourém. 
Na última aparição, a 13 de Outubro, estando presentes cerca de 70.000 pessoas, a Senhora disse-lhes que era a "Senhora do Rosário" e que fizessem ali uma capela em Sua honra. Depois da aparição, todos os presentes observaram o milagre prometido às três crianças em Julho e Setembro: o sol, assemelhando-se a um disco de prata, podia fitar-se sem dificuldade e girava sobre si mesmo como uma roda de fogo, parecendo precipitar-se na terra.
Posteriormente, sendo Lúcia religiosa de Santa Doroteia, Nossa Senhora apareceu-lhe novamente em Espanha (10 de Dezembro de 1925 e 15 de Fevereiro de 1926, no Convento de Pontevedra, e na noite de 13/14 de Junho de 1929, no Convento de Tuy), pedindo a devoção dos cinco primeiros sábados (rezar o terço, meditar nos mistérios do Rosário, confessar-se e receber a Sagrada Comunhão, em reparação dos pecados cometidos contra o Imaculado Coração de Maria) e a Consagração da Rússia ao mesmo Imaculado Coração. Este pedido já Nossa Senhora o anunciara em 13 de Julho de 1917.

Anos mais tarde, a Ir. Lúcia conta ainda que, entre Abril e Outubro de 1916, tinha aparecido um Anjo aos três videntes, por três vezes, duas na Loca do Cabeço e outra junto ao poço do quintal da casa de Lúcia, convidando-os à oração e penitência. 

Desde 1917, não mais cessaram de ir à Cova da Iria milhares e milhares de peregrinos de todo o mundo, primeiro nos dias 13 de cada mês, depois nos meses de férias de Verão e Inverno, e agora cada vez mais nos fins de semana e no dia-a-dia, num montante anual de cinco milhões.